Expectativas para o segmento logístico Brasileiro

Home/Logística/Expectativas para o segmento logístico Brasileiro

Expectativas para o segmento logístico Brasileiro

Com a chegada da Indústria 4.0 a cadeia de suprimentos voltou-se para um futuro onde as tecnologias transformadoras prometem tornar o segmento menos linear e mais interconectado. Transformando-se em uma rede de suprimentos digitais, esse novo ecossistema está pronto para transformar a forma como as partes interessadas se comunicam.

Quanto ao mercado nacional, ainda está em fase de mudança. O país passa por período de ajustes econômicos, e ainda mantem expectativas quanto as mudanças positivas na economia nacional. Os executivos acreditam que, com uma possível recuperação nacional, poderemos finalmente dispersar o clima de instabilidade e incerteza e caminharmos rumo ao futuro.

De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), 81% dos empresários estão confiantes que os problemas nacionais de infraestrutura serão resolvidos ao longo dos próximos anos. Além da positividade, o estudo mostra que o otimismo está retornando e dominando outros mercados também com sinais de recuperação de suas atividades.

Pesquisas da ANTT e NTC também colaboram com esta expectativa e mostram que 44,5% dos empresários do Setor de Transporte acreditam na melhora da economia, número que em janeiro de 2016 era de apenas 5,4%.

Mais de 76% dos entrevistados pela pesquisa da CNT espera um PIB (Produto Interno Bruto) maior do que o de 2018. Por conta disso, 54% dos empreendedores do setor pretendem ampliar o tamanho de suas frotas e retomar o investimento para seus negócios.

Todavia, há pontos concretos que fortalecem a ideia de um cenário mais produtivo para a logística brasileira:

Economia

Segundo o Portal G1, o PIB indica um bom aumento em 2019, garantindo um crescimento entre 2% e 3% da economia nacional. Ainda que sejam números modestos, eles podem ser vistos como algo promissor, considerando as dificuldades que o Brasil enfrentou recentemente. Assim, mesmo que em ritmo lento, a impulsão da economia traz novas perspectivas para fabricantes, lojistas e consumidores.

E-commerce

Se existe um fator que pode fazer toda diferença de uma forma positiva para o setor de logística em 2019 é o e-commerce. O número das vendas online cresce a cada dia e isso impacta diretamente nos processos logísticos.

Em 2019, a expectativa é de que o faturamento do e-commerce aumente em 15%, impulsionando outros segmentos. Conduto, esse cenário só será benéfico para as empresas que se prepararem e investirem corretamente os seus recursos.

Invista na tecnologia

O setor já vive a realidade da logística 4.0, um conceito que abraça a tecnologia como uma peça fundamental na realização dos processos. Ou seja, para gerar maior eficiência e qualidade nos serviços oferecidos, é essencial que a automatização seja uma realidade dentro da sua empresa. Somente as organizações que implementarem novas práticas de gestão conseguirão destaque nesse novo mercado.

Valorize a experiência do consumidor

Ficou para trás o tempo em que a logística se resumia em entregar cargas, sem se preocupar com a qualidade dos serviços ou com a opinião do consumidor. Hoje, o sucesso do cliente é um dos conceitos mais debatidos pelas líderes do setor. O objetivo é garantir que o consumidor se sinta prestigiado em toda a sua jornada e sinta que a sua experiência foi completa ao final de cada negociação.

Soluções inteligentes GTP Automation para empresas

O hunter™ IoT Visibility Manager, é uma plataforma de automação que identifica, captura, rastreia e garante fidelidade da informação desde a coleta dos dados à sua entrega para os softwares de gestão.

Essa ferramenta pode controlar e gerenciar processos, além de identificar sensores, atuadores e transponders RFID.

Outras tarefas que o hunter™ IoT Visibility Manager, via sensores, realiza:

  • Mede condições ambientais (temperatura e umidade);
  • Comanda abertura e fechamento de portas;
  • Comanda circuitos fechados de TV;
  • Envia mensagens por SMS;
  • Monitoração de ambientes (Pátios, Portos e Aeroportos);
  • Envia Alarmes e Emissão de Alertas;
  • Monitora abertura e fechamento de lacres.

O sistema WMS da GTP Automation tem uma característica completamente diferente de todos os WMS existentes no mercado. Ele sabe precisamente onde estão os produtos armazenados com base na localização física dos mesmos.

Todas as operações executadas pelos operadores, pelas empilhadeiras e transpaleteiras são monitoradas por sensores RTLS. Desta forma as operações de picking, separação, armazenamento, etc., são registradas em equipamentos móveis e enviadas ao servidor WMS para definir quais operadores deverão executar as ordens do sistema.

Com base nestes eventos o sistema passa a acompanhar cada movimento dos operadores e confere em tempo real se a ordem foi ou não executada e no local definido. Além disso o sistema trabalha com etiquetas de Código de Barras, QR Code e RFID.

Os sistemas RFID conferem aos produtos identidade e rastreabilidade desde a origem até o cliente final, transformando-se num aliado inestimável de controle e gestão com governança. A GTP desenvolve e opera sistemas RFID há mais de 15 anos e dispõe de uma oferta única na modalidade SaaS (Saving as a Service).

Etiquetas inteligentes, tags, leitores, antenas, concentradores, portais e todos os demais componentes são oferecidos sem nenhum custo de implantação sendo cobrados de acordo com o retorno obtido pela operação. Somente a GTP tem a confiança de oferecer este produto nesta modalidade no mercado.

Saiba mais sobre a GTP no vídeo abaixo e entre em contato conosco clicando aqui. Os nosso consultores estão à sua disposição para levar a transformação digital logística para a sua empresa.

Referências: Terra, Blog Logística

Por | 2019-04-16T09:49:39+00:00 16/04/2019|Categories: Logística|Tags: , , |Comentários desativados em Expectativas para o segmento logístico Brasileiro

About the Author:

Marcus Vinicius Rocha
Marcus Vinicius Rocha é jornalista formado pela Faculdade Estácio de Sá. Radialista formado pelo Centro Técnico Vasco Coutinho e Produtor de Conteúdo.